Jô Soares

Artista de múltiplos talentos, o carioca Jô Soares consagrou-se para o público brasileiro como humorista, apresentador de televisão, artista plástico, dramaturgo, diretor teatral, músico, ator e mais recentemente como escritor. Sua estreia editorial se deu em 1985 com o livro de piadas O Astronauta sem Regime. Entre seus seis livros publicados, os romances O Xangô de Baker Street e O Homem Que Matou Getúlio Vargas venderam juntos mais de um milhão de exemplares. O último lançamento (2011) foi As Esganadas.

Na infância, Jô realizou parte dos estudos em Lausanne, Suíça, com o objetivo de preparar-se para ser diplomata. Mas acabou optando pela vida artística, em especial pelo teatro, cinema (mais de 20 filmes) e televisão, onde se notabilizou pelos programas de humor. Na tela grande estreou em 1954 em Rei do Movimento, de Victor Lima e Hélio Barroso. Na tevê, ganhou projeção inicialmente com a Família Trapo (1967) e depois com inúmeros programas humorísticos, até se tornar um dos apresentadores mais consagrados do país com um modelo de talking show até então inédito por aqui. (Kb)

Publicações

  • O Astronauta sem Regime, L&PM – 1985
  • A Copa que Ninguém Viu e a que Não Queremos Lembrar, Cia. das Letras – 1994
  • O Xangô de Baker Street, Cia. das Letras – 1995
  • O Homem que Matou Getúlio Vargas, Cia. das Letras – 1998
  • Assassinatos na Academia Brasileira de Letras, Cia. das Letras – 2005
  • As Esganadas, Cia. das Letras – 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *