BBKing e os golfinhos

Todos os dias, sempre no mesmo horário, levo todos daqui de casa para todos os cantos. Agora nas férias está um pouco mais tranquilo, levo só minha esposa para o trabalho, as crianças estão de férias com meu sogro. Quando volto para casa, que é também meu escritório, coloco para escutar um CD antigo do BBKing. Aquela guitarra alivia o que será o meu dia de trabalho. O ruim de trabalhar em casa é que o local de descanso e de labuta é o mesmo, então você perde a noção de quando termina um e começa o outro e o som agudo criado por dedos escorregando em fios de metal me tiram dessa terra. Não existem palavras, só um som que diz o que não tem língua e, portanto não precisa de tradução.

Fico imaginando os golfinhos, eles devem se comunicar assim, dizem que emitem sons inaudíveis para nós seres racionais. É somos racionais e eles se comunicam por canções. Nós tentamos decifrar o mundo, por lógica onde ela não existe. A arte é uma maneira de procurar um significado a estas traduções de vida. Os escritores passam a vida a colocar os sentimentos em letras, como se fosse possível. Mas aquela guitarra mostra que sim é possível é só não pensar, deixar levar, sentir sem traduzir, sem procurar uma compreensão intangível, inodora e insípida.

Quando percebo já estou em casa/escritório, carro desligado, estacionado. O computador ligado e gritando trabalho. É os golfinhos são felizes… E o BBKing silencia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *